quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Leituras: o Uber é só o começo.


Nesse artigo muito pertinente de Ligia Aguilhar, ela analisa que esse movimento neo-ludista contra o Uber é só a ponta do iceberg de um movimento crescente chamado Economia Criativa. E lista

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Leituras: 7 most famous logos and how they were created


7 most famous logos and how they were created | StockLogos.com

Leituras: o fim da nudez na Playboy americana e uma aula de reposicionamento


Dica o Vicente Monteiro. O The New York Times publicou um texto que fala da decisão da revista Playboy americana de tirar de suas páginas os nus femininos que a fizeram tão famosa, desde o seu lançamento em 1953. Além de ser uma decisão corajosa, ela não é tola, mas sim baseada em números concretos de audiência e circulação, tanto nas versões impressa quanto nas mídias diversas e nos produtos que estampam o famoso logotipo do coelhinho e na constatação de que a marca Playboy é muito maior do que ser "aquela revista de mulher pelada". Vale a pena ler esse texto e refletir sobre reposicionamento de uma marca.
Playboy to Drop Nudity as Internet Fills Demand - The New York Times

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Leituras: já passou da hora de deixar de pensar em formato papel para publicações digitais.

Um dos melhores blogs sobre ficção científica em português não vem do Brasil, mas de Portugal. Nesse artigo, ele faz uma a análise do ezine H-alt e, ao mesmo tempo, faz uma crítica a muitos criadores de conteúdo para internet, quando insistem em pensar para o formato papel (PDF) mas deveriam pensar já em telas e formatos adaptados. Vale a leitura.
H-alt #01 http://intergalacticrobot.blogspot.com/2015/10/h-alt-01.html

sábado, 26 de setembro de 2015

domingo, 20 de setembro de 2015

Subzero: Gostosa além da conta. Uma zoação em cima do Conar e sua caretice.

Não sei se vocês viram esse novo filme criado pela Almap BBDO para a Antarctica Subzero em que eles sacaneiam com a proibição do Conar em mostrar pessoas bebendo cervejas em comerciais no Brasil. Me lembrou os bons tempos da propaganda brasileira sacana, que tirava sarro da concorrência, tipo aqueles famosos comerciais da Bombril e seu amaciante Mon Bijou, em que eles zoam com o Confort, a concorrência. Um clássico.
Esse da Antarctica Subzero é um achado. Fica na memória do brasileiro, esse um sacana de nascença. Por mais que o Conar e outros orgãos ou pessoas caxias insistam em dizer que não. Bola dentro da Almap!

sábado, 19 de setembro de 2015

GEEK EXPO 2015: Uma celebração à arte e a cultura pop.

Mais uma produção desse que vos fala. Fui na Expo Geek, encontro que celebra a cultura pop em todas as suas manifestações. Em meio a nerds, curiosos e artistas do traço, saquei minha filmadora e fiz esse pequeno registro. Espero que gostem.

Quando um merchandising dá água na boca: A Maravilhosa Cozinha de Jack

Em marketing chamamos merchandising a ação de inserção de um produto no contexto de uma narrativa ou situação. De acordo com Regina Blessa, publicitária e especialista em merchandisig, pode ser definido como:
Merchandising é qualquer técnica, ação ou material promocional usado no ponto-de-venda, que proporcione informação e melhor visibilidade a produtos ou serviços, com o propósito de motivar e influenciar as decisões de compra dos consumidores.
É o conjunto de atividades de marketing e comunicação destinadas e identificar, controlar, ambientar e promover marcas, produtos e serviços nos pontos-de-venda.
É responsável pela apresentação destacada de produtos na loja, criando espaço e visibilidade, de tal maneira que acelere sua rotatividade.
Para muitos não funciona porque fica parecendo aquela inserção feita à força, sem que seja algo orgânico, natural. Quando se consegue algo assim, funciona maravilhosamente.
A Maravilhosa Cozinha de Jack é uma série de vídeos publicados no canal do Jovem Nerd no You Tube e apresentados por Fernando Russell, conhecido como "Tucano", em que ele se dedica a fazer experiências culinárias. Para anunciar o novo produto da Knorr, o "Meu Assado", uma inserção de conteúdo de marca casou direitinho com a proposta do programa. Ficou delicioso. Um case bem sucedido.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

TV: 44 séries bacanas que estão por vir

A TV há muito tempo deixou de ser aquele lugar que passa novela para ser um monitor de várias possibilidades midiáticas. Estamos em plena Era de Ouro das séries e as novidades não param de chegar. O site Dan on Geek listou 44 novas séries, entre confirmadas, continuações e projetos bem promissores, como uma segunda chance para Global Frequency, HQ escrita por Warren Ellis e desenhada por uma penca de artistas bacanas que antecipou, em anos, o que viria a ser conhecido como crowdsourcing; Além dela, projetos como ZDM, Dreadstar (uma HQ dos anos 80 muito querida pelos fãs de ficção científica), Scalped e Sex Criminals. Confira a lista completa das novidades aqui.
A TV, definitivamente, não é mais aquela que você imaginava.
ZDM

Agent Carter, second season

Dreadstar

Frequência Global

Powers, second season

Scalped

Sex Criminals

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Leituras: "Não há vozes dominantes, apenas uma míriade sem fim de fragmentos."



Recado de Ian Bogost, para horror de quem ainda acha que existirá uma mídia dominante, ou uma voz única no futuro próximo. Durma com isso.
Via Intergalactic Robot, onde o futuro está sempre em beta. Genial!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Oiçam: NOVOS(outros nem tantos!)BRAZUCAS(ou quase!) [MXTAPE #5] - (P) 2015


Jotapê Aires é um brother, publicitário, conhecedor dos paranauê dos vinis. Ele pilota mixtapes que fazem a cabeça de seletos amigos. Resolvi abrir para todos essa mix recém produzida por ele. Ouçam aqui.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Novo logotipo do Google: Google, evolved

Um vídeo publicado pelo Google que mostra a história do seu logotipo. O bacana é notar a evolução tanto nos aspectos visuais quanto na própria definição da empresa ao longo dos anos.

Networking: Dima Je

A partir de hoje vou ilustrar esse blog com pessoas que me inspiram nas plataformas Behance e Pinterest. Para começar, eis o trabalho bacana de Dima Je.
Dima Je é um ilustrador, character design e designer russo que possui um traço marcante e um jeito especial de achar soluções de branding divertidas e bem resolvidas. No seu portfólio no Behance você acha mais ideias bacanas desse cara. Essa, que eu pesquei para ilustrar essa sessão, é do restaurante Mama Mafia.














sábado, 29 de agosto de 2015

Leituras: entrevista de Eugênio Mohallem para a Panorama Mercantil "Meu conselho às famosas velhinhas investidoras de Illinois: não comprem ações de agência de propaganda com base em sua premiação em festivais."


Eugênio Mohallem dispensa apresentações. Caso você, amigo publicitário ou leitor que não é do meio, não conheça um dos maiores redatores publicitários brasileiros de todos os tempos, recomendo a visita ao site/portfólio dele para entender a sua importância.
Nesta entrevista ao site Panorama Mercantil, ele conta um pouco a sua trajetória de redator, passando pelos cargos de diretor de Criação e empresário da Comunicação e seu atual cargo, como diretor de Criação da Young&Rubican. Mas o que mais chama a atenção nesse bate papo é a sinceridade com que ele ataca as agências de publicidade que focam demais em prêmios e não em entregar o seu melhor no dia a dia dos seus clientes e de como isso está afetando negativamente o mercado como um todo. Eis um trecho:
"Meu conselho às famosas velhinhas investidoras de Illinois: não comprem ações de agência de propaganda com base em sua premiação em festivais. Grandes performances em Cannes não significam que a agência reproduza, para seus clientes, a mesma ousadia, a mesma criatividade. Algumas porque não saberiam como, outras porque sequer tentam. O modus operandi destas agências é o seguinte: de um lado, subserviência ao cliente. Fazem logo o que ele quer, para veicular e faturar rapidinho. Do outro, posam de criativas, acumulando prêmios via peças fajutas ou “criações” que nada têm a ver com publicidade. Estas agências equacionaram o binômio faturamento/criatividade do jeito mais cômodo possível.
Isso me incomoda, mas não porque tais agências estejam se passando por melhores do que são. Isto é problema delas, de seus clientes, prospects e acionistas. O que preocupa é que esta prática está destruindo a propaganda verdadeira que colocamos no ar, atrofiando nossa capacidade criativa, desnacionalizando nosso discurso publicitário e comprometendo as próximas gerações de profissionais."
 Mais a frente, ele fala da prática de criação de peças exclusivas para festivais e a perda de uma identidade nacional em nome de uma adaptação à um critério de premiação:
"Mas quando se trata de uma peça-fantasma, o único cliente é o ego. Vale qualquer coisa. Não precisa nem ser propaganda, pode ser um par de meias que mede o grau de chulé e publica no Facebook — ninguém confere a plaquinha do troféu. E, principalmente, a ideia-fantasma não nasce como solução criativa a um problema mercadológico."
"Outro efeito deletério da obsessão festivaleira é a desnacionalização da nossa linguagem publicitária: como Cannes premia mais as ideias visuais e universais, perde-se o interesse – e consequentemente a habilidade — para ferramentas muito típicas da nossa publicidade: a oralidade, o diálogo, o título esperto, a crítica de costumes locais, a prosa leve, a despretensão."
Falando por mim, fui convidado uma vez para um debate na Universidade de Fortaleza em que discutimos, entre outras coisas, o mercado local. Engraçado como eu falei desses mesmos problemas de premiações e fui quase linchado pelos meus nobres colegas. O debate pode ser ouvido aqui. (a polêmica começa aos 21:00min)
Bom saber que alguém de peso como o Eugênio, também pensa assim.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

30 minutos no espaço: como viver na Estação Espacial Internacional não tem nada de glamouroso.

Esse mini-documentário mostra a astronauta Sunita Williams fazendo uma tour pela Estação Espacial Internacional. Longe do que mostra filmes como Gravidade ou semelhantes, viver em uma estação espacial como essa é apertado, cheio de restrições e, se você tiver dificuldades em fazer suas necessidades em lugares estranhos, pouco convidativo para a maioria das pessoas. É um video fascinante e revelador.
Dica do Vincente.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Jogada de mestre: Marvel faz capas variantes de seus gibis com cosplays de fãs.

Dica do Sylvio Gonçalves, via Facebook. A Marvel Comics vai lançar capas variáveis de seus próximos lançamentos baseadas em cosplays de fãs da editora. Chamada de Marvel Cosplay Covers, a iniciativa celebra todo o carinho que os leitores têm pela editora/produtora de filmes. Segundo Cassie Moser, da IGN, as 20 capas alternativas vão se lançadas em outubro. Bela jogada de aproximação público e empresa, não acham? Já postei há muito tempo atrás um artigo sobre essa paixão que ultrapassa o mero consumo e passa a ser um estilo de vida, algo desejável por qualquer marca que se preze, mas que é comum ao mundo pop.









quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Mimo: Mickey Shorts

Alguém do Facebook (não vou me lembrar quem, me perdoem, disponibilizou essa playlist do You Tube só como desenhos do Mickey Mouse, desses atuais que a Disney Studios está fazendo. Vale muito a pena ver o carisma desse personagem e pensar: por que cargas d'água a Disney ainda não fez longas com esses personagens?

Profissões do futuro: soldados de aluguel.

Não tão assim no futuro porque essas empresas estão atuando agora na negociação de contratos de proteção ou outras coisas mais sinistras de companhias militares particulares. Empresas que vendem seus serviços de guerra a quem pagar mais. O que rola aqui não é patriotismo mas puro lucro. A Vice, como sempre, mete o pé na lama e mostra uma das industrias que mais crescem no mundo.

domingo, 9 de agosto de 2015

Tarcísio Meira e Glória Maria: a telenovela surge como forma de trazer o teatro para o povo.

O Estado de São Paulo há tempos vem mantendo um canal no You Tube em que publica reportagens que se aproximam de um tipo de novo jornalismo que empresas como o Vice estão protagonizando: videos curtos, com informação certeira e edição moderna, bem adequado aos novos tempos em que o tempo é realmente dinheiro.
Nesse vídeo, os veteranos Tarcísio Meira e Glória Maria relembram o início das telenovelas na TV, como era algo experimental ainda, e a tentativa de se fazer uma espécie de teatro popular para as massas. Uma perspectiva histórica que vale a pena ser vista, por mais ideológico que você possa encarar as declarações do casal, ainda mais quando eles afirmam que as novelas foram elemento de integração nacional. Um tema bom para debater.

sábado, 8 de agosto de 2015

SEBRAE: Movimento Compre do Pequeno Negócio.

Não sei se vocês sabiam disso mas os pequenos negócios no país geram mais da metade dos empregos formais, aqueles de carteira assinada, e 30% do PIB do pais e outros números surpreendentes É o conceito da cauda longa aplicado há séculos no pais. O SEBRAE, à semelhança da linda campanha do American Express do "Small Business Saturday, Shopping Small", criou o "Movimento Compre do Pequeno Negócio ", um dia dedicado ao incremento de vendas desses importantes vetores da economia nacional.
Dia 5 de outubro, faça a sua parte. Vá naquela vendinha da esquina e compre alguma coisa. São esses pequenos grandes negócios que mantém a chama do empreendedorismo ardendo nesse pais.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Leituras: como o Uber cria a marca do século XXI?


Marcos Bedendo, em um artigo para a Exame, analisa, sob a ótica do branding, a ascensão e o sucesso da marca Uber no Brasil. No artigo ele analisa também as ações de fidelização dos clientes da plataforma e como os protestos dos taxistas mais ajudaram a difundir o conceito do aplicativo do que barrá-lo. Vale a leitura.
Como o Uber cria a marca do século XXI? | EXAME.com

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Clássicos eternos: "Companheiros" para Postos Ipiranga

Se tem uma campanha que representa construir uma marca é essa criada pela Talent para os Postos Ipiranga. Alguns filmes, de tão clássicos, fazem parte do acervo da boa propaganda brasileira. Puro conceito. Pensem em entregar isso para seus clientes. Essa esquizofrenia desenfreada de mudar tudo a toda hora não constrói nada.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

3 recadinhos de David Droga, da Droga 5.


David Droga, a mente por trás da Droga5 de Nova York, disse essas três coisinhas por ocasião de uma entrevista à Meio e Mensagem, número 1633. Vale a pena ler. Eu estou ouvindo.



Fonte: Meio e Mensagem.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Stephen King: a escrita é como água. Água é via. Água é de graça. Beba até se saciar.

Em 1999 o escritor americano Stephen King sofreu um grave acidente que quase o matou. Ele foi atropelado por uma caminhonete enquanto fazia sua caminhada diária de 6 quilômetros. O acidente e sua recuperação foram determinantes para que ele revisse posturas sobre sua vida e a escrita, seu principal ofício, foi uma das razões, além da ajuda inestimável de sua esposa, que o levaram a se recuperar do ocorrido. Em seu livro "Sobre a Escrita", já mencionado aqui no blog, ele conta detalhes desse acidente e de sua recuperação, as operações, a fisioterapia e a volta lenta ao teclado do seu Powerbook. Esse trecho, que fecha essa parte, é comovente porque descreve o que motiva Stephen King, desde que ele escreveu "Carrie", em um quartinho sujo, nos intervalos de seu trabalho como lavador de lençóis até seu consequente sucesso e fama mundiais. Uma lição para todos nós do que é fazer aquilo que gosta e de como isso pode, literalmente, ser um motivador da sua vida.


quinta-feira, 23 de julho de 2015

Dave Trott: "The current thinking is that big data will solve everything."


Dave Trott é um articulista da Campaign que escreve sobre comunicação há alguns anos. Sempre com inteligência e sagacidade ele versa sobre questões de marketing, propaganda que valem a pena a leitura. Neste artigo, ele fala sobre as respostas que muitas vezes não queremos ouvir sobre a análise maciça de informações da Big Data, que parece ser a moda atualmente.
Link aqui.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

"Palhaço", por Egberto Gismonti no Sr. Brasil

Um dos melhores programas da TV aberta que existem atualmente é o mítico Sr. Brasil, que os saudosistas lembrarão como Som Brasil, programa que marcou época em uma TV Globo bem diferente que você está acostumado. Ainda capitaneado pelo Rolando Boldrin, esse programa que passa na TV Cultura é uma pérola pouco conhecida (graças aos deuses de Kobol que eles upam para o YouTube) do grande público e tem brindado a audiência com atuações e performances de artistas nacionais emocionantes. Essa não foge a regra e tem somente o Egberto Gismonti tocando ao piano a composição "Palhaço" em meio a histórias da sua vida. Puro lirísmo!

Red Bull channel: Best Hard Enduro Action from Red Bull Romaniacs 2015

Outro canal do YouTube que eu recomendo é o da Red Bull. Essa marca há tempos deixou a esfera de simples produto para se tornar uma plataforma de entretenimento com várias modalidades. E sempre muito bem filmada e editada.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Volkswagen: Don't Selfie and Drive.

Quem me conhece sabe que eu fico com o pé atrás com agências de fazem campanhas de conscientização visando mais os prêmios que a vontade de fazer o bem. Até criei o "Prêmio Bono Voz" de agência de propaganda que mais salva o mundo todos os dias como forma de brincar com essa mania feia disfarçada de liberar a criatividade frustrada do dia a dia dos publicitários. Mas essa conversa vai para outro momento. Essa campanha da DDB do México chamou a minha atenção porque, além de ser uma puta ideia, é simples e bem executada e vai direto na goela de quem se arrisca em fazer selfies enquanto dirige. Não merece o meu prêmio, o que já é uma coisa muito boa, não acham?
Via Behance.




Música para seus zuvidos: Tom Odell "Another Love".

Uma das coisas legais de assinar serviços de streaming como o Spotify é a possibilidade de ouvir as playlists sugeridas e conhecer artistas novos. Esse britânico só tem um disco, mas mandou bem. Já tá nos meus favoritos.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

A primeira lição sobre escrita de Stephen King.

Estou lendo o Sobre a Escrita, a Arte em Memórias, tradução para o famoso "On Writing: A Memoir of the Craft", de Stephen King. O livro é uma mistura de reminiscências do autor americano junto com lições sutis sobre a arte da escrita, aprendidas por ele durante os anos. Essa, particularmente, me chamou a atenção porque reflete bem o que eu acho que seja escrever, mesmo que seja para literatura ou atividades mais prosaicas, como a redação publicitária.
Ainda nos seus tempos de estudante, Stephen King meio que foi forçado a trabalhar como jornalista esportivo do pequeno semanário Lisbon Weekly Enterprise, sobre a tutela de John Gould, editor-chefe. Meio a contragosto, King aceitou o cargo. Ao escrever sua primeira nota, sobre um inexpressivo jogo de basquete do colégio local. Ao ver a nota, Gould, começou o trabalho de riscar os excessos, coisa que deixou o jovem Stephen King abismado e feliz com a revelação de que cortar texto é tão necessário quanto escrever.
Fica a lição para vocês também.

Reimaginando capas de livros: incrível trabalho de David Palumbo.

David Palumbo é um ilustrador americano que criou esse projeto baseado em livros que ele aprecia. No Behance dele dá para conferir mais trabalhos.
O Homem do Castelo Alto, de Phillip K. Dick

O Planeta dos Macacos, de Pierre Boulle

Casino Royale, de Ian Fleming

Neuromancer, de Willian Gibson

O Iluminado, de Stephen King

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...