quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Honda Illusions: An Impossible Made Possible

É dever da publicidade usar o que está no consciente coletivo do público para passar a mensagem de um produto. Esse filme bolado pela McGarryBowen usa as famosas pinturas de piso que causam ilusão de ótica para dar o recado da Honda.

Via Meio e Mensagem.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Nuestro México del Futuro: Niños incómodos exigen a candidatos

Acho incrível nesse filme é a coragem de abordar um assunto tão controverso dessa maneira. O uso de crianças imitando adultos é clichê, todos sabem, e foi motivo de uma polêmica de uns anúncios da Courofino dias atrás. Mas o clichê não é ruim, quando bem utilizado. Nesse filme bolado pela TERAN/TBWA para a Nuestro México de Futuro, o uso das crianças nessas situações absurdas e chocantes só reforça o recado. Esse nunca foi e nunca será o futuro para elas. Um duro recado aos governantes do pais (que não gostaram nem um pouco de terem seus nomes citados), um recado, por que não, para o Brasil e um dos melhores comerciais do ano e aposta certa em Cannes. Nota 10.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Superman 75th Anniversary Animated Short

Debatepapo: “Criação e polêmicas publicitárias: O que acontece na agência não é mais segredo.”


Rolou ontem, dia 15, mais uma edição do Debatepapo com o tema “Criação e polêmicas publicitárias: O que acontece na agência não é mais segredo.” O evento faz parte de uma série de debates promovidos pelo curso de Comunicação Social, Publicidade e Propaganda da Unifor e contou com a participação de Daniel Moreira – Bolero, Jones Sampaio – EBM/Quintto, Rodrigo Meireles – Slogan, e esse que vos escreve. Teve também uma participação especial de Alex Moreira - Bolero. Os mediadores foram os professores e profissionais Carlos Bittencourt e Claudio Sena. O link para baixar o audio do encontro está aqui. Mas dá pra ouvir no player abaixo.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Bom Negócio: cômoda

Existe um bom conselho não dito e pouco seguido no meio publicitário que é o uso de celebridades para vender produtos. O conselho é esse: se for usar celebridade, sacaneie com ela. Publicitários de longa data como o George Lois e novos como o pessoal da Talent, Almap BBDO e outras, usam as celebridades com inteligência e pertinência. É o caso da NBS, que bolou esse filme para a Bom Negócio, em que a porra-louca Narcisa empresta seus dotes para interpretar uma cômoda que já passou da hora de sair de casa. Simples e explica o core business da Bom Negócio. Bonzão!

Via Meio e Mensagem.

Francesc Petit e a propaganda: o fim de uma era?

Palavras do Francesc Petit, da DPZ, citadas no editorial da Regina Augusto, da edição 1577 da Meio e Mensagem
"Uma boa propaganda vale muito e precisa-se saber valorizá-la adequadamente. Isso ajuda a valorizar a profissão e os profissionais que nela trabalham. Essa é uma mensagem dirigida àqueles que costumam tratar o trabalho de criação como se fosse banana em liquidação."
"O novo publicitário é imediatista, mais parece uma agente financeiro do que um profissional da propaganda. Na verdade, eles descobriram uma nova linguagem que agrada ao anunciante: números, pesquisas, resultados e tudo o que ele quer ouvir. Isso garante emprego ao CEO, ao vice-presidente, ao diretor-financeiro, ao diretor de marketing, ao gerente de propaganda e seus bagrinhos."
Petit reflete outros tempos. Sua morte meio que sela um período em que os grandes criativos gerenciavam o negócio da publicidade. Agora o jogo parece ser outro, mais técnico, mas econômico e mais chato.
Mas essa merda toda vai virar.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Samsung Galaxy Gear: A Long Time Coming

Eu sinceramente não acredito na viabilidade de usar um relógio desses (que não é telefone, que fique bem claro). Deverá ser caro, perigoso de usar em nossas ruas cada vez mais violentas e com pouca duração de bateria, algo que não se deve imaginar para algo que se usará todos os dias. Mas o futuro dirá se esse produto da Samsung vai ter sucesso ou não. O equivalente da Apple está prestes a chegar para esquentar essa briguinha pelo melhor wearable technology que virá por ai (o Google aposta no Glass). De qualquer forma, essa abordagem desses filmes é bacana porque pega toda uma memória afetiva que temos como esse universo pop de desenhos, filmes e seriados, em que esse relogios-fones eram lugar comum e explica fácil fácil o que é e para que serve o Galaxy Gear. E ainda tem a música do LCD Soundsystem. Muito bom!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Santa Maria Imóveis: construindo histórias de vida

A vantagem de fazer parte de grupos e comunidades tanto do Facebook quanto do Google+ é a possibilidade de colher material para inspiração. É o caso desse filme feito para a Santa Maria Imóveis, criado pela agência Ghost e com produção inspirada da Kaffe Films. Uma animação com timing perfeito.

Santa Maria Imóveis - Morar from Maffe - Ricardo Maffessoni on Vimeo.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

"Condenada", de Chuck Palahniuk

Li "Condenada", de Chuck Palahniuk. É uma volta à velha forma do escritor americano. Suas descrições do Inferno são assustadoramente críveis, nao pelo absurdo, mas pela sensação de proximidade, de que poderia ser realmente assim. Madison Spencer, a protagonista do livro, que morreu aos 13 anos de idade e foi condenada à perdição, é um típico personagem de Palahniuk: consciente da sua nulidade e de seus fracassos, é, ao mesmo tempo, um das criações mais humanas e o livro, por estranho que pareça, fala de espiritualidade despida de vícios religiosos de uma  maneira positiva. E o foda é você chegar na pagina final e ler um enorme CONTINUA. Um dos melhores livros do Chuck. Vale muito a pena!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Rainha: tenis com a tecnologia Tira Marido do Sofá.

A Rainha, tradicional marca de calçados esportivos lançou esse novo modelo que vem com uma tecnologia inédita, a TMS, que significa literalmente ˜Tira Marido do Sofá˜. Essa zoação bacana é ideia da Talent.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Comerciais da Brastemp: ainda não tem comparação

O post de hoje é meio saudosista. Sou uma pessoa que teve sua infância doutrinada pela televisão dos anos 80. Ver comerciais era a minha graduação em um novo tipo, pelo menos para mim, de conversa com o consumidor. Eu adorava todos aqueles comerciais inteligentes, de jargões marcantes, de criatividade imensa que se perdeu um pouco. Sou um dos poucos que acredita que não foi a profusão de meios de comunicação que assolou o Brasil nas décadas seguintes o fator preponderante dessa perda - de novo, minha opinião - desse jeito moleque de se fazer propaganda. Acho que os motivos são outros. Um exemplo desses novos tempos tenebrosos pode ser melhor explicado no editorial da Regina Augusto, da Meio e Mensagem.
Enfim,
Revejam alguns filmes bolados pela Talent Propaganda para a Brastemp. Repare na qualidade do texto (perfeitamente adaptável para rádio) e o reforço das propostas de venda. Esse tipo de construção de uma relação entre o consumidor e a marca é algo difícil de ser ver hoje em dia.
Novamente, um post saudosista.
Mas eu acredito que a maré vai virar. Tem de virar.


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Coca-Cola: Mini-Me (3D printing)

Já viram essa da agência israelense Gefen Team, que usou a tecnologia das impressoras 3D de forma bem original nessa ação para as mini-garrafas da Coca-Cola? Boa, hein?

Coca-Cola Mini-Me (3D printing) from Gefen Team on Vimeo.

Amnesty International: Fan the flame

Essas peças criadas pela Ogilvy & Mather, de Londres, para Amnesty International são soberbas! Todas as imagens foram feitas a mão, recortadas e montadas num trabalho primoroso dos artistas Aleksey Lyapunov e Lena Erlikh (eles fazem um trabalho incrivel com papel! Vale a visita). O making of você pode ver neste post do Creative Blog. Espalhe a chama, você também.




segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Dica de livro: "Qual é a Grande Ideia", de George Lois e Bill Pitts

George Lois é um cara que eu já falei por aqui. Um dos publicitários mais famosos de todos os tempos - se não conhece, envergonhe-se - ele foi um dos expoentes da turma da DDB que criou a moderna propaganda nos anos 60. O que ele diz até hoje tem fundamento. Esse livro dele - acho que é o único que saiu nesse atrasado Brasil - é um dos mais famosos e um dos que fez a minha cabeça. Li pela primeira vez, emprestado, há uns bons 8 anos atrás e nunca achei para comprar porque esté fora de catálogo. Ainda bem que temos o Mercado Livre! Eis ai uma das pérolas do cabra, logo no capítulo inicial:
"A publicidade, quando perseguida com amor e talento, especialmente talento, pode tornar-se uma linguagem de massa a explicar e iluminar o significado da vida cotidiana das através de imagens e ideias sucintas e poderosas."
E ai? Publicidade como linguagem de massa? Publicidade como crônica histórica dos tempos? Coisas para se pensar, não?

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O que é ser um Diretor de Arte

"As an art director you must be a leader, someone who inspires and guides the vision of the design team. However, someone who sees themselves as the design top dog will inevitably be heading for a embarrassing fall. You have to be able to recognise the talent in those around you and learn how best to get the best from you. An art director who sees themselves in a position of hierarchical authority is simply a glorified manager."
James Fenton da Blimp Creative, sobre o que é ser um Diretor de Arte. Segue matéria.
Via Creative Blog.

Entrevista com Eugênio Mohalllen, na Reclame

Esse video é de 2011. O grande Eugênio Mohallen nem está mais na Mohallen Artplan, mas o que ele fala é pertinente até hoje. Nessa matéria para a Reclame, o publicitário fala sobre sua vida, sua carreira, o uso de celebridades em comerciais - que já passou da fase de saturação e ficou ideia fácil de muitas agências do Brasil, a perda da identidade brasileira nos filmes que tentam copiar estética que dá certo em outros países, o perigo dos grandes festivais, o estilo de layout que eu costumo chamar "layout Archive" e muito mais. Escutem as palavras do mestre.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Entrevista com o Halder Gomes, diretor de Cine Holliúdy:
"Halder Gomes: Dois cearenses falando com o outro, com tantas expressões idiomáticas e sotaque, beiram o dialeto. Vira quase outra língua. Quando fiz o curta, em 2004, brinquei com essa coisa da legenda. Distribuímos um glossário cearense e as pessoas se divertiram muito. Sabia que essa coisa da legenda poderia jogar contra [o filme], mas sabia que seria a favor porque fiz um grande laboratório com o curta em termos de mercado, de plateia. Sou formado em administração e marketing, sou observador e estudo o mercado. Quando disponibilizei o curta-metragem em locadoras no Ceará, em 2005, ele batia as locações de Matrix. Sabia que esse fenômeno poderia se repetir no cinema."

CREATIVE CLASS COM FABIO SEIDL

Aproveitando que os amigos Juliana Coelho, DaniLo Limas e Lucas Rodriguez estão ressetando a mente na Escola Cuca, dei uma fuçada lá no site deles e achei essa palestra de Fábio Seidl, da Ogilvy Brasil, sobre creative thinking. Um tapa na cara no pensamento de muitas agências e uma lição de pensar a criatividade não somente para atender contas, mas para estabelecer relações profundas com seus clientes. Vale muito a pena.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Porta dos Fundos: Quinta-feria maluca

Essa é uma versão bem hardcore da máxima "O gerente endoidou e o preço baixou". Gênios!!!!!!!!

Casa da Tia Léa: 25 anos de bons exemplos

Essa campanha chamou a minha atenção pela simplicidade, força de conceito e maneira como foi executada. Esses filmes, narrados da forma como foram, reforçaram a seriedade da proposta da ação para a Casa da Tia Léa. Uma bela ideia, bem executada e como, muitas campanhas de colégio deveriam ser, tem uma big ideia embutida. Campanha bolada pela Bolero (olha a aliteração!), de Fortaleza.



Via Rafiado.

domingo, 21 de julho de 2013

Pecha Kucha: apresentações em 20 slides com 20 segundos cada


Atualizando as minhas leituras, li um artigo interessante de Paula Nader, diretora de marca e marketing da Santander, na edição da semana passada da Meio e Mensagem, sobre o modelo de apresentações pecha kucha, criado por dois arquitetos, Astrid Klein e Mark Dytham, para acabar com a chatice das longas exibições de sliders em reuniões. Consiste em você resumir tudo o que você tem a dizer, com um história com começo, meio e fim, em 20 slides de 20 segundos cada. Totalizando seis minutos e quarenta segundos. Assim, sem tirar nem por. Isso acaba com as longas digressões e papo furados que vemos em muitos powerpoints. Achei bacana a ideia e estou repassando para vocês;
http://www.pechakucha.org/

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Sair das agências de propaganda e trabalhar no Facebook, Twitter e Google. Como é?

Da Meio e Mensagem: "Três profissionais vindos da propaganda assumem postos importantes em três empresas digitais que estão transformando o dia a dia das pessoas ao redor do mundo: Google, Facebook e Twitter. Gleidys Salvanha (ex-Publicis), Pedro Porto (ex-Fischer & Friends) e Raphael Vasconcellos (ex-AgênciaClick) falam da mudança na carreira e explicam por que esse movimento é benéfico para o mercado."

domingo, 23 de junho de 2013

Easy Way Languages Center: legendas para estrangeiros

Outra ideia ganhadora de Leao em Cannes veio da Loducca para Easy Way Languages. Um app que traduz em tempo real e em várias línguas, o conteúdo da programação local brasileira para estrangeiros. Uma união vencedora de tecnologia e criatividade.

Smart Communications: como simples celulares podem mudar vidas

GP de mobile em cannes fez mais pelas crianças filipinas que muita campanha ai. A ideia, criada pela DDB para a empresa Smart Communications, foi bolar chips de celular com as materias da escola e assim evitar que as crianças carregassem quilos de livros. Nas Filipinas, comprar um tablet, que seria a escolha mais óbvia para ebooks, custa muito mais que o salário de muitas familias. Mas celulares, mesmos os mais furrecos, são baratos e podem exibir textos. Uma ideia simples, poderosa, que muda vidas. Propaganda de primeiro mundo. Vejam o case abaixo.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Pensamentos intrigantes #2: George Lois

George Lois, durante palestra no Festival de Cannes, sobre que carreira escolheriam hoje, se tivessem de começar de novo:
“O nome do jogo não é tecnologia. É criatividade”

fonte.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Red Bull: Danny MacAskill's Imaginate

Há tempos a Red Bull deixou de ser somente uma marca de bebidas energéticas para ser uma marca transmídia. Patrocina eventos proprietários diversos, investe em atletas, vai além do usual. Esse video é uma mostra disso.

Dica o Victor!

sábado, 8 de junho de 2013

Pensamentos intrigantes #1: David Droga

David Droga, na edição de 3 de junho, da Meio e Mensagem, sobre campanhas integradas:
"A maior parte de nossos trabalhos é pensada para ser extremamente integrada. O problema de quem não se adequou ainda é pensar que integrar é espalhar a idéia em várias mídias, o que não tem nada a ver. Na verdade, integrar é fazer com que cada parte da estratégia faça as outras partes melhores do que são de um modo que elas se complementem e enriqueçam a história principal. Para saber se a campanha está bem integrada, basta retirar um dos componentes. Se a campanha continuar funcionando, não está integrada, mas se ela perder o sentido, aí sim, a integração está funcionando."

terça-feira, 7 de maio de 2013

Bookmarks da hora: Classe C só tem gente burra ou burros são os dptos. de marketing que pensam assim?

Um texto pertinente de Rynaldo Gondim, redator da AlmapBBDO, sobre a insistência de muitos departamentos de marketing (e porque não dizer de muitas agência de propaganda) em achar que todo consumidor classe C é idiota e burro e merece propaganda à altura. Como já disse Fabio Fernandes em sua palestra no Festival do CCSP, é "antecipar a burrice alheia". Um texto que vale a pena se lido e debatido.
http://ccsp.com.br/ultimas/63819/O-Espaco-e-Seu

sexta-feira, 3 de maio de 2013

C&A: Fim de Semana Abusado

A DM9 bolou esse filme para o grupo varejista C&A em que, para o horror de muitos, a trilha sonora é um funk. Em meio a tantos comerciais de varejo que mostram sempre as mesmas coisas chatinhas e previsíveis , esse se destaca facilmente.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Stage Fright - So Real It's Scary 2 #LGStageFright

Ações em banheiro masculino geralmente costumam ser criativas. Mas sempre tendem a, de alguma forma, apelar para o tamanho do orgão masculino. A agência Goviral/AOL bolou essa ação para promover a linha de monitores LG 21:9. Vejam ai como ficou. Via Comunique9.

Hot Wheels: Even a small drink is enough

A Ogilvy & Mather da India bolou essa peça para a Mattel que foi distribuida para os frequentadores de bares da cidade. Um simples e importante alerta sobre os perigos do alcool misturado com a direção. Duas coisas que não são brincadeira.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Comunidade do Redentor: A Historia da Pascoa

Sei que já passou a data, mas fica o registro desse video muito simpático que conta, no olhar das crianças, a história da Páscoa. Pra quem já trabalhou com produção de video que envolviam crianças, esse filme é um feito!

quarta-feira, 27 de março de 2013

Na semana da SP Fashion Week, "TV Folha" mostra "escravos da moda"

Video fantástico da Folha de São Paulo que mostra o lado B do maior evento de moda do Brasil, a SPFW e as marcas que aproveitam o trabalho escravo de imigrantes para fazer roupas. Muito bom!

Volkswagen: Inova

Não sou lá grande fã de propaganda que usa celebridade. A campanha tem que ser muito boa para ser memorável. A Almap BBDO usou o ultra-exposto Neymar e os sempre bacanas Pelé, Rivelino e Cafu para falarem dos 60 anos da Volkswagem no Brasil e, ao mesmo tempo, falarem do quanto essa marca antiga é moderna. Combinou tudo direitinho e com direito a sacaneada do Rei. Bola dentro.

terça-feira, 12 de março de 2013

Osamu Tezuka "Jumping"

Osamu Tezuka, alem de ser um genio, produziu curtas metragens experimentais. Esse, "jumping", foi todo feito em plano-sequencia e com mais de 4 mil frames. Genial!
Assista a "Tezuka Osamu's 13 Experimental Films - Jumping" no YouTube

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Wallace & Gromit: Google Hangout

O Google escalou os simpáticos personagens Wallace e Gromit, criados pelo britânico Nick Park,  para promover o Hangout, o sistema de teleconferência da empresa. O resultado, além de didático, ficou muito bacana.

Via Caldinas.

Caçada nos Mares Proibidos: como expandir as possibilidaes dos e-books

Esse post eu vi no site do Revolução eBook mas achei interessante pois fala da nova promessa do mercado editoral brasileiro, os e-books. Com a chegada de players de peso como a Amazon, o Google, a Apple e a reação tardia das redes nacionais, notadamente a Livraria Cultura, exergar o sucesso ou não dessa plataforma no Brasil é ainda incerto devido a vários fatores. Uma tentativa de se popularizar o formato pode ser encontrada no e-book "Caçada nos Mares Proibidos - Aventuras na Rota da Índia", de autoria de Mateus Parreiras e Paola Carvalho que resgata aqueles livros conhecidos como "Choose Your Own Adventure", ou Escolha sua Própria Aventura, muito populares nos anos 1980. No video abaixo você entende como funciona o livro...

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Novo Fusca: anos 70

Já tá na lista dos melhores do ano. Ideia memorável e execução do "cacetis", como diria o saudoso Mussum. Parabéns à AlmapBBDO.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Aliens: Colonial Marines e o estado da arte em games

Algum dia os games serão considerados uma categoria de arte à parte. Vejam esse INCRÍVEL trailer do jogo Aliens: Colonial Marines e digam se isso pertence ou não a uma categoria diferente de arte...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Porta dos Fundos e Bis Yogo: como misturar conteúdo com propaganda

O pessoal do Porta dos Fundos está caminhando para ser um dos principais grupos de humor do Brasil. O envolvimento de marcas nos videos era uma questão de tempo. Primeiro começou com o Spoleto. A Coca-Cola também não ficou atrás (teve até uma sacanagem com a campanha da Pepsi Cola!) e agora, temos esse video com a marca Bis Yogo, da Lacta. Com a proximidade do Carnaval, esse tema também foi usado no filme que brinca com os clichês de sambas-enredo de escolas de samba e a dificuldade de uma agência de propaganda criar um jingle que misture Bis Yogo com Carnaval. Metalinguagem pura! Só achei a duração do video meio longa demais, o que é um contraste visto que os outros videos do Grupo primam pela concisão e pela edição impecável. Nem tudo dá 100% samba...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Samsung Galaxy Camera ou, se fosse cinco anos atrás...

A Samsung lançou sua camera fotográfica que vai integrar a linha Galaxy, ou seja, uma camera que conecta à internet para compartilhar/armazenar fotos. Até aí tudo bacana. Mas isso é exatamente o que um celular faz. Não sei se podemos encarar esse produto como uma tentativa de alavancar uma categoria que vai sumir (as câmeras tipo point-and-shoot cameras), acredito eu, com o tempo devido a preferência do celulares como dispositivos divulgadores e recebedores de conteúdo pelos consumidores. Posso estar enganado, mas meu feeling aponta para isso. Então, soa meio anacrônico lançar uma camera fotográfica que faz exatamente o que um celular faz, coisa absurda de se pensar hoje, visto que esse tipo de tecnologia reinava há 5 anos ou mais, quando esse produto era pra ter sido lançado.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Neosaldina: como contar uma história bacana em um formato que dizem que esta morto

Tempos atrás a agencia em que trabalho promoveu um evento bacana onde tivemos uma workshop sobre storytelling com Richard Krevolin, roteirista e escritor americano, onde, entre muitas coisas bacanas e proveitosas, ele escorregou na casca de banana quando disse que o formato de filmes publicitários de 30 segundos estava acabando. Comentário repetido até mesmo em livros e em outras conversas de pessoas gabaritadas do meio.
Pura besteira.
O que esse povo não entende é que o que importa não é o formato mas sim o conteúdo.
Se você tem uma história bacana, divertida e que passe o recado do produto de forma simples, suave e memorável, pode ser formato de 10, 20, 30 segundos ou 3 minutos (que, particulamente não suporto), 2 horas que o sucesso está garantido.
Para exemplificar o que eu disse, eis o comercial de 30 segundinhos da Neosaldina, criado pela Santa Clara. Então deixem de frescura e parem de condenar formatos só por modismo e pensem mais em conteúdo, que é o que realmente interessa na propaganda.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Bookmarks da hora: Washington Oliveto mostra como é que se fazia

Assista a "Reclame - Washington Olivetto relembra as melhores campanhas da publicidade brasileira" no YouTube
Assistindo a esse video e juntando tudo isso às conversas impublicáveis que venho tendo com colegas publicitários, só me resta esperar que a propaganda brasileira volte a ter um nível de excelência como tinha no passado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...